fbpx

Serra do Açor

RTT-2star
Nature First Bronze Partner

PASSEIO FOTOGRÁFICO DE OUTONO NA SERRA DO AÇOR

Com início na aldeia da Benfeita (Aldeia do Xisto), neste passeio fotográfico de Outono iremos explorar parte da vertente Noroeste da Serra do Açor e apreciar diferentes pontos de interesse ao longo do itinerário, com a temática do Outono sempre presente. Na Área de Paisagem Protegida da Serra do Açor, principalmente na Mata da Margaraça, encontraremos um magnífico bosque misto, onde a influência da estação se faz sentir com mais intensidade. A água, agora mais abundante, preenche as inúmeras linhas de água, mas atinge todo o seu esplendor na Fraga da Pena, precipitando-se numa elegante cascata.

Subimos ao ponto mais alto desta Serra, o Pico da Cebola, que dos seus 1418m nos permite excelentes vistas para um mar de cumeadas, da Serra da Estrela, Lousã, Gardunha, …

Atravessando a Serra para Sudeste, entramos no vale do Rio Ceira que cruzamos para subir ao Fajão (Aldeia do Xisto) e aos seus penedos, numa paisagem onde as cumeadas representam cristas quartzíticas.

 

Enquadramento geográfico

A Serra do Açor integra-se na Cordilheira Central, entre a Serra da Lousã e a Serra da Estrela. Atinge o seu ponto mais elevado no Pico da Cebola (1418m). Trata-se de uma zona predominantemente xistosa, de relevo suave mas com vales profundos e vertentes abruptas. Em alguns locais sobressaem imponentes cristas quartzíticas. Inclui-se nesta a Paisagem Protegida da Serra do Açor, uma área classificada, com 373ha. Esta integra a Mata da Margaraça, uma Reserva Biogenética, considerada como o último reduto da vegetação climácica original do Centro de Portugal.

A flora

Na componente arbórea desta Mata fazem parte uma grande variedade de caducifólias, de que se destacam o Carvalho-alvarinho (Quercus robur), o Castanheiro (Castanea sativa), a Cerejeira (Prunus avium), a Aveleira (Corylus avellana) e o Ulmeiro (Ulmus minor). Estas abrigam uma importante comunidade de espécies perenifólias como o Medronheiro (Arbutus unedo), o Folhado (Viburnum tinus), o Azereiro (Prunus lusitanica) e o Azevinho (Ilex aquifolium). A Mata da Margaraça alberga ainda uma grande variedade de cogumelos.

Outros aspectos de interesse

Nas encostas acentuadas da Serra do Açor ou no fundo dos seus vales, descobrem-se belas aldeias serranas, construídas há séculos passados, como Aldeia das Dez, Piódão, Benfeita, Foz d’Égua, Fajão ou Vide.

Para além do Pico da Cebola, a Serra do Açor inclui outros pontos elevados, destacando-se, o Colcurinho (1242m), o São Pedro do Açor e o Cabeço do Gondufo (1342m). E nos seus vales correm importantes cursos de água como os rios Alva, Alvoco e Ceira.

Serra do Açor
Serra do Açor
Fraga da Pena na Serra do Açor

 

FICHA TÉCNICA

Hora e ponto de encontro: 09:00, na aldeia da Benfeita

Duração: 1 dia.

Tipologia: misto (pedestre e viatura).

 

Recomendações:

Para este programa são necessários calçado confortável (de preferência botas de montanha ou desportivo), calças, corta-vento e restante vestuário adaptado à estação do ano e às previsões meteorológicas. Levar cantil para água. Ao nível do equipamento fotográfico, embora meramente indicativo, o ideal será uma máquina digital reflex (DSLR), lente grande angular, outra lente de focal maior (por exemplo 70-200mm), tripé. Os participantes poderão trazer outro material que entendam (por exemplo, lente macro, flash, filtros, etc).

 

 

Até 4 participantes: 149,50 €

De 5 a 10 participantes: 30,00 € /pessoa

O preço da actividade inclui o acompanhamento técnico, seguros.

Para outras condições, contacte-nos.

Oferta de desconto igual ao IVA para clientes particulares.
Acresce o IVA aos preços indicados, para empresas e outras entidades.

 

 

Através dos contactos disponibilizados, indicando o seu nome e contacto de telemóvel/email.

A reserva de lugar só é garantida mediante o pagamento de 50% do valor da inscrição.

Formulário de contacto

email: info@wildlifeportugal.pt

Telemóvel: +351 918 068 872