Parque Natural do Douro Internacional

O Parque Natural do Douro Internacional compreende o percurso fronteiriço do rio Douro e os últimos quilómetros do rio Águeda, também no seu troço de fronteira, correspondendo a uma área total de 85.150 ha. Abrange os concelhos de Miranda do Douro, Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta e Figueira de Castelo Rodrigo.

O Douro é um dos maiores rios da Península Ibérica e, quando entra em Portugal, surge já na forma de vale profundo com arribas verticais, estendendo-se ao longo de 130km dentro do Parque Natural. Com estas características, assume-se como o “Grand Canyon” da Península Ibérica, e alberga as mais importantes populações de aves rupícolas, formadas maioritariamente por abutres (Grifo, Abutre-preto e Abutre do Egipto), Águia-real, Águia de Bonelli, Cegonha-preta, Falcão-peregrino, Gralha-de-bico-vermelho, Andorinhão-real, Melro-azul.

Para além das aves, também aqui encontramos o Lobo, o Gato-bravo e o Corço.

Este território caracteriza-se por apresentar um microclima marcado pela escassa precipitação, baixas temperaturas invernais e elevadas temperaturas estivais. Aqui encontramos uma vegetação de carácter sobretudo mediterrânico, constituído principalmente por azinheiras (Quercus rotundifolia) e sobreiros (Quercus suber). Destaca-se ainda a formação de bosquetes de Zimbro (Juniperus oxycedrus), de Lódão (Celtis australis), de Carvalho-negral (Quercus pyrenaica) e de Carvalho-cerquinho (Quercus faginea).
É um território que apresenta uma reduzida ocupação humana, que desde longa data soube modelar esta paisagem através de práticas agropecuárias tradicionais e que proporcionaram um mosaico de habitats de elevada importância para a biodiversidade.